Poupança brasileira é sutilmente assaltada pelo governo

Autor: Fáimon Coutinho

Com o novo corte da Selic para 8% ao ano, as cadernetas de poupança com depósitos feitos a partir de 4 de maio estão rendendo menos.

O governo sabia o que estava fazendo ao mudar a legislação das cadernetas de poupança dos brasileiros, atrelando a taxa da SELIC toda vez que esta baixar de 9%. Era uma forma de compensar os bancos pela diminuição das taxas de juros, que são há muitos anos exigidas pelas indústrias.

Apesar de que os ganhos da tradicional aplicação de poupança ainda obterem rentabilidade maior do que a oferecida pela maioria dos fundos de renda fixa atrelados aos juros básicos, algumas operações de renda fixa já estão compensando mais.

Para escolher a aplicação, o investidor deve avaliar os custos com a taxa de administração e Imposto de Renda dos fundos, além do prazo da aplicação.

O ganho líquido mensal dos fundos de renda fixa com taxa de administração a partir de 1,5% ao ano sempre perde para a rentabilidade oferecida pela poupança, segundo os cálculos da Anefac, mas abaixo desta taxa de administração, a poupança já não é mais tão atrativa.

Com isso, a poupança perde seu caráter de aplicação segura para a grande massa brasileira, pois garantia uma rentabilidade de 0,5% ao mês + a inflação do índice ao consumidor, desta forma o brasileiro nunca perdia valor de seu dinheiro aplicado, e era recompensado com uma taxa fixa de juros por deixar o dinheiro para ser trabalhado pela instituição financeira.

Agora com a Selic em 8% o rendimento todo da poupança não chega à antiga taxa de rendimento fixo, ficando em cerca de 47% ao mês.

Já a poupança antiga – depósitos realizados até 3 de maio – continuará com um rendimento superior aos dos fundos em todas as situações, com a exceção das aplicações com a taxa de administração de 0,50% ao ano e prazo de resgate superior a 2 anos. Nesse caso a poupança empata com os fundos.

Mas este não e o primeiro ataque às poupanças deste governo que está constituído desde 2002 no Brasil!

O primeiro golpe foi dado quando taxaram todas as poupanças com mais de R$ 20.000,00 (vinte mil reais), o que atrelado a esta nova medida que extingue a taxa fixa de juros com a baixa da Selic, faz com que o dinheiro aplicado na poupança, perca valor com o tempo, em relação à inflação dos preços ao consumidor.

Mas o que é a Selic?

Você pode entender melhor o que é a Selic no site PortalBrasil mas trocando em miúdos é a taxa que o Governo usa para pagar juros aos que compram títulos da dívida pública, que por sua vez, é uma forma do Estado buscar dinheiro para liquidar compromissos imediatos no mercado de valores.

Sendo também considerada uma taxa basal para outras operações de crédito, porque costumeiramente o mercado define outras taxas de juros em fórmulas que a levam em conta.

Existe alguma contrapartida para o povo?

O interessante é que os pronunciamentos oficiais faziam parecer que estas medidas de diminuição do rendimento da poupança, eram algo aceitável, pois a Selic estava caindo também.

Como se essa taxa de juros conhecida como Selic tivesse realmente algum impacto sobre a vida das pessoas que guardam suas reservas de dinheiro na poupança esperando não ter seus valores corroídos.

Facilita-se a vida dos grandes investidores dos cofres públicos que compram títulos do governo, e tira-se dinheiro das poupanças da população como um todo para compensar.

Muito justo… Não, uma verdadeira piada às nossas custas.

Mas essa redução da Selic iria prejudicar tanto os bancos que eles precisam pagar menos nas poupanças?

Na realidade a resposta a resposta também é não! Mesmo com essa redução da taxa de juros o Brasil ainda tem a 3ª maior taxa de juros do mundo, e é super atraente ao mercado internacional de compra de títulos de dívida pública, por costumeiramente estar honrando todos os pagamentos nestas taxas altíssimas.

Ou seja o Brasil ainda continua pagando caro pelo dinheiro líquido de curto prazo que recebe nas operações de papéis no mercado de valores.

E porque a sociedade não se revolta?

Porque está muito domesticada para isso. Porque se revoltar se os bancos BB, Bradesco e Caixa Econômica anunciaram cortes nas suas taxas nas operações de crédito para Pessoa Física e Pessoa Jurídica?

Tudo que o brasileiro deslumbrado quer, é gastar, se seu crédito ficou na teoria mais barato, é isso que importa. Fazer reservas para pagar as contas pra que? O brasileiro acredita em Deus, não precisa se preocupar.

Mas engana-se quem, fazendo parte da massa populacional brasileira acha que está ganhando algo com isso. Para se ter a real noção do engodo, repare que:

A Selic caiu 0,5%… enquanto seu crédito ficou de 0,005% a 0,05% mais barato… e sua poupança rende até 0,15% a menos.

Parabéns para quem acha isso tudo certo… Ou melhor… Parabéns para quem conseguiu os convencer!

Anúncios

4 comentários em “Poupança brasileira é sutilmente assaltada pelo governo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s