Impeachment da Dilma em 2015?

Iniciamos um novo ano, 2015 na nossa contagem ocidental, aqui no Brasil isso significa que novos políticos assumiram cadeiras investidos de poder Estatal. Mas existe uma cadeira que tem sido muito questionada, será que a dona Dilma Vana Rousseff se segura?

O principal argumento do momento é de que a população se sente enganada, será que fora mesmo enganada?

Ela disse que o país estava bem, que tudo iria ficar ainda melhor, que todo mundo tem e terá emprego, que “nem que a vaca tussa” iriamos regredir nos direitos dos trabalhadores, que as tarifas ficariam mais baixas, que o adversário estaria sendo sujo com o povo ao propor ajustes econômicos impopulares para 2015, construiu aeroporto na terra do tio, que é privatista e iria quebrar a Petrobrás.

Mas a oposição não estava dormindo, mostrou que tudo era mentira, também que havia muito desvio de dinheiro público e que o governo dela sim estava quebrando a Petrobrás. Os ajustes seriam inevitáveis, mas se realizados por quem o mercado confia, tinham mais chances de dar certo.

O povo não foi enganado, escolheu a mentira e o fracasso, por isso eu penso que agora deve pagar pela escolha, precisa aprender a ser mais responsável com o voto e menos emocional.

A oposição a acusa de não ter cumprido as cláusulas de responsabilidade fiscal.

Aqui encontramos um motivo justo para impeachment, todavia, o Congresso se dobrou por um preço, que para variar você vai pagar, a dona Vana prometeu liberar recursos para emendas parlamentares e a base aliada “abanou o rabo”. Esse motivo, só retorna se o STF invalidar a manobra política. Mesmo que remotamente, me parece muito improvável.

Ela sabia e foi beneficiada com o rombo da Petrobrás!

Claro que se formos dar uma “colher de chá ” de boa fé para a dona Vana, no mínimo temos que pensar que assim como Plínio de Arruda Sampaio disse na disputa presidencial de 2010, “ou Dilma é conivente ou incompetente”. Por incompetência perdemos a chance de colocar um Impeachment sobre ela (veja acima), por conivência ainda caberia uma tentativa, se houver força política para tanto, pois, ela foi presidente do Conselho de Administração da Petrobrás, foi Ministra de Minas e Energia, Chefe da Casa Civil e agora Presidente do Brasil e em nenhum cargo pôde evitar os negócios malfadados da companhia e nem o evidente rombo de caixa que as comissões (propinas) causaram.

Nesse caso a derradeira “porrada” pode vir com a comprovação de que esse dinheiro desviado parou no cofre da campanha eleitoral do PT, ocasião na qual ficaria evidenciado que dona Vana foi a principal beneficiária da roubalheira e quem sabe a justiça poderia até forçar o PT a devolver o dinheiro, bloqueando as contas nas próximas disputas eleitorais até o limite do rombo na petroleira.

Mas insisto que essa possibilidade é fraca e dificilmente terá força política para passar pelo Congresso.

O povo não quer mais e pronto!

Talvez seja mentira, não teria tanta certeza disso. Os meus e os seus amigos da internet não querem mais, o povo mais humilde nem percebeu ainda o efeito da crise, pra eles não mudou muita coisa, as demissões ainda estão a caminho e a gasolina não é algo tão representativo pra quem nem carro muitas vezes tem. Sendo assim, a dona Vana ainda continua a “presidenta”.

Meus caros, a crise ainda vai ser pior, aguardem os próximos capítulos e se preparem!

Quem tem patrimônio, tem tirado o que pode de dentro do Brasil, mantido o necessário para tocar os negócios e esperar um melhor momento, se ele for ocorrer. Quem não tem, está refém de uma economia que tem cada vez menos recursos para investir nela mesma e crescer.

Os impostos e preços públicos passaram a apertar ainda mais as margens dos negócios, o que afasta ainda mais a coragem de investir dos empresários e consequentemente perde-se duas coisas de pronto: capacidade de gerar empregos e a capacidade de competir, fazendo com que muitos negócios precisem demitir, ou até mesmo venham a quebrar.

O governo não tem muitas opções, pois gasta mais do arrecada faz tempo, tem trilhões de dívida, boa parte com juros altos (SELIC), muitos custos do governo serão reajustados por causa da inflação e reajustes salariais do funcionalismo público, enquanto a arrecadação deve cair ou se estabilizar nesse ano. De onde virá o dinheiro?

Você ainda espera que mês que vem seja melhor do que hoje?

Aconselho a colocar alguns anos de paciência nessa espera e se tornar um conservador com seus recursos imediatamente, ou correrá o risco de “acabar numa pior”.

Isso sim é muito mais provável do que o impeachment da Dilma.

Mas por que vamos às ruas pedir Impeachment?

Esse é um direito democrático, as pessoas estão insatisfeitas e enquanto perdem a esperança de um amanhã melhor, sentem que precisam fazer alguma coisa. Por isso tamanha adesão às passeatas de domingo (15 de março de 2015).

Creio que indiferentemente se haverá ou não o tal Impeachment, tais manifestações tem imensa importância, pois tem demonstrado que o povo está “inflamando-se” contra a falta de moralidade e de probidade na condução das coisas públicas.

Tem demostrado que ressurgiu na nação o interesse por política, o meio do qual dispomos para mudar a realidade social.

Então espero vocês, que estiverem assim como eu, deveras insatisfeito com a condução dada pelo PT, às ruas nos próximos eventos, vamos pedir mudanças, vamos pedir para que o PT deixe o poder, vamos expressar nosso apoio ao judiciário e à Polícia Federal que tem conduzido investigações que podem ainda nos revelar (com comprovações) reais motivos para o processo de Impeachment.

 

Para os que gostam de rir da própria desgraça:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s