Eleição 2016 nos EUA

Hoje (08.nov.2016) os EUA vão às urnas eleger o seu próximo Presidente da República. Essa será uma disputa histórica pois, pela primeira vez escolherão entre uma figura do mais caricato típico estadunidense midiático e arrogante contra uma mulher de competência e posicionamento bastante duvidosos.

Conheça mais

Trump (Partido Republicano) vs Hillary Clinton (Partido Democratas)

É um desafio homérico para uma nação que precisa escolher entre um sujeito popular nacionalista e algo asqueroso, ou uma mulher que muito longe de ser uma “Merkel”, não inspira confiança, nem tem uma imagem de poder que é algo que faz parte dos valores de parte da nação, e que no outro polo político nem encampa o discurso de igualização da “centro-esquerda” dentro do partido dos Democratas.

Eleição do menos pior

Estadunidenses tem revelado em pesquisas que deverão decidir o que será menos pior. Uma pena, especialmente depois de um belo governo de 8 anos do Presidente Barack Obama que foi um “gentleman” ponderador e negociador do começo ao fim e que recolocou a economia estadunidense nos trilhos novamente.

Trump pode receber mais votos diretos

As pesquisas de opinião nessa reta final tem revelado que Trump talvez pode conseguir nominalmente mais votos diretos do que Hillary, mas ela tem vantagem em Estados mais relevantes que confeririam a ela a vitória no número de delegados, que é a forma como se resolve a eleição por lá.

Hillary pode vencer pela metodologia dos votos indiretos

No Brasil estamos acostumados com voto direto em eleições majoritárias e eleições proporcionais, mas nos EUA vigora o voto indireto. Cada Estado tem um peso em “número de delegados” e quando se vence em um Estado você fica com essa quantidade de delegados. No final das apurações, vence corrida presidencial quem obtiver mais delegados.

Como Trump foi indicado pelos Republicanos

Ele que é empresário bem sucedido e muito famoso por conta de aparições em programas de TV produzidos por ele, inclusive um no qual “brincava” de ser Presidente, e concorreu nas prévias contra políticos tradicionais do partido. Já nas primeiras semanas ficou claro que muitas candidaturas não teriam qualquer impacto diante da dimensão de popularidade de Trump, mas dois descendentes de cubanos ficaram na luta até poucas semanas antes do Congresso Republicano, mas só haveria alguma chance se o 2º o 3º e o 4º colocados se unissem em uma chapa, o que não ocorreu e Trump ganhou facilmente. Diz que pagou do seu próprio bolso a maior parte da campanha durante as prévias.

Como Hilary Clinton foi indicada pelos Democratas

Ela é formada pela escola de Direito de Yale e teve uma disputa que foi muito mais apertada no partido governista, o professor Bernie Sanders foi o adversário. Ele começou fraco mas, logo angariou muitos jovens, imigrantes e adeptos do governo capitalista que faça justiça social, enquanto a Secretaria de Estado Hillary Clinton contava com o apoio de Obama e do ex-presidente Bill Clinton em uma campanha com recursos de grandes empresas. Sanders chegou a acreditar que teria chances, mas no final uma grande arrancada de Hillary Clinton garantiu sua nominação pelo partido que está claramente dividido entre uma postura de Centro-Esquerda e de Centro-Direita.

O que mais está em jogo

Os americanos em muitos Estados além de votar para presidente irão votar em temas legislativos de suas regiões, como aborto, drogas, armas, etc. Trump tem sido denunciado em casos de escandalos sexuais e uso de mecanismos que lhe conceram redução de impostos. Hillary está sendo investigada por mal uso das contas de e-mail enquanto Secretária de Estado e está em meio a um escandalo divulgado pelo Wikileaks que mostra que ela recebeu previamente as perguntas do debate na CNN. Além dos candidatos dos partidos maiores, também há mais dois concorrentes na disputa:

  • A chapa do partido Libertário formada por Gary E. JohnsonWilliam Weld
  • A chapa do partido Verde formada por Jill SteinAjamu Baraka

O que é melhor para o Brasil

Em uma análise imediata podemos inferir que Trump por ser nacionalista pode estimular a criação ou manutenção de barreiras comerciais e de circulação de pessoas, ao passo que Hillary é adepta do multiculturalismo e da globalização o que pode permitir que se houver competência do nosso lado, possamos aumentar as relações comerciais e tentar tirar proveito, especialmente com “trocas” que resultem em geração de riqueza de ambos os lados.

E na sua opinião, quem deveria ser o próximo Presidente dos EUA?

Veja também:

[1] Página especial do New York Times sobre as prévias partidárias: http://www.nytimes.com/interactive/2016/us/elections/primary-calendar-and-results.html

[2] Página especial do The Washington Post sobre as eleições nos EUA: https://www.washingtonpost.com/news/the-fix/wp/2016/11/08/when-will-we-know-who-the-next-president-is-the-fix-guide-to-election-day-2016/?tid=pm_politics_pop_b

Anúncios

Um comentário em “Eleição 2016 nos EUA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s